terça-feira, 7 de abril de 2015

Spring Break : Panama City Beach, Flórida


Olá Pessoal,

Meu primeiro spring break em Panama City Beach, na Flórida. Foi uma viagem muito legal, como não queríamos gastar muito pegamos um hotel bem barato de frente pra praia. Resultado, nosso quarto não era de frente pra praia, era tipo um puxadinho do outro lado da rua. O hotel era bem longe do ponto principal do spring break. O quarto tinha quatro beliches, e com um monte de menina juntas, ficou uma bagunça. Por isso é importante pesquisar bastante antes de fechar um hotel. Hoje em dia fica mais fácil saber se o hotel é bom ou não pesquisando nos sites de avaliação de hotéis como o tripadvisor.com ou booking.com . Vale a pena gastar mais um pouco para ter um conforto melhor.

Nosso quarto e a bagunça
Mesmo assim, nós nos divertimos muito. Além de ir pra praia todos os dias, também passeamos pela cidade e visitamos vários pontos turísticos. Panama City Beach é o lugar mais escolhidos pelos universitários durante o spring break. Como nessa época a maioria do nosso grupo ainda não tinha 21 anos tivemos que escolher um lugar nos EUA que permitisse menores de 21 nas baladas. Como eles identificavam os menores na balada? Fazendo um X com um marcador na nossa mão.

Dia de visitar a cidade
Balada a noite
Muitos pais ficam receosos ao deixar seus filhos viajarem durante o spring break. Mas vai de cada um escolher aonde ir. Por exemplo, a noite tem muitas opções de festas, um dia paramos na frente de uma balada e já no estacionamento não gostamos muito da atmosfera, então fomos para outro lugar. Acho que independente do lugar que você escolha para viajar atenção e cuidado nunca são demais.

Festa na Praia - com o grupo de brasileiros


As festas na praia são grátis. O ponto de encontro geralmente fica na frente do hotel Days Inn aonde tem um palco montado com DJs. Para maiores de 21 anos que querem beber a melhor opção é fechar o pacote de festas que inclui festas em bares durante o dia também. Tem pacotes com bebida incluso então vale muito a pena para quem bebe. Mas para entrar mesmo no clima no Spring Break, o melhor é curtir na praia com os amigos e levar a bebida no cooler, já que é proibido a venda de bebidas na praia. Vale lembrar que nos Estados Unidos nem é permitido beber na praia, mas durante o spring break acho que eles abrem uma excessão. Mais ou menos as 6 da tarde a polícia chega na praia e começa a mandar o pessoal embora...literalmente acabam com a festa e assim começa também a limpeza da praia. Vários carros de limpeza passam recolhendo todo o lixo da festa e deixando a área limpa para o dia seguinte. Por isso é importante verificar qual é o ponto da praia que está tendo festa, porque eu acho que nem todos os pontos é permitido levar bebida. Então muito cuidado para não ser preso.

Ripley's Believe it or not

Decidimos passear pelos pontos turísticos da cidade, mas não entramos em nenhum que tinha que pagar. Não lembro se já estava fechado, ou se realmente optamos por não gastar com museus e sim em um restaurante local.
Wonderworks

A data do spring break varia todos os anos. Depende do calendário da universidade. Quando fomos para Panama City Beach o nosso calendário não batia com muitas universidades. Então vale a pena pesquisar bem a data que as outra universidades tem o feriado e para onde os estudantes estão pensando em ir. Outra dica é entrar no site e conferir as opções de viagens. Neste site você encontra os destinos, os pacotes de viagens e atrações de cada local, vale a pena conferir: http://www.studentcity.com/trips-and-destinations/spring-break/panama-city-beach-florida/overview

Pier Park: esse centro tem várias lojinhas e restaurantes












segunda-feira, 20 de junho de 2011

Friends, Lovers or Nothing


Those are my fofinhas! 6 months with those girls were enough to love and never forget them.

!

I am finally back to Brazil, after one year away from my family and everything. I have to confess that is really weird, I felt lost the first week and I didn't felt like calling anyone.
I stayed one semester at the University almost alone, I had some problems with my rommies and this made me change a lot, specially about trusting people. But it seems that as soon as the second semester started my life gots better. The brazilian bus parked at my University(ahahahhahah). There was like 20 new brazilian students and I can say that some of them became very special to me.






Spring Break came and we went to Panama City in Florida. It was a group of brazilians and one girl from Germany and another guy from Costa Rica. They didn'y know much potuguese, specially Pauline, the girl from Germany. But it was good because we have to continue talking english. This trip could show me how those people really were outside our study routine, and it was the best thing that ever happenned. I realized that I was blind and I took such a long time to see that I had lovely people around me all the time and I wasn't giving value on that.



After spring break we had a short time to spend time together because the semester was ending and I we were not going to see each other so soon. My two friends Pauline and Fernanda were not going to go back to the University for next semester, so we were really sad about that.
It was really hard to say goodbye to a friend that you don't even know when you going to see again. But life is like this, you win, you lose. And life keeps going.
This time I had only happinness! But I was freaking out with the idea to go back home. Now I am back and the worst passed but I lost a lot of friendships and this make me really dissapointed but I know that I have really good friends but unfortunetly they are around the world, one in Germany, my best friend in Australia and I keep talking to them on skype. One day we are going to be together again.

Now I will enjoy the most my vacations in Brazil and I can't wait for next semester!!

GOOD VIBES

MANDOKA HULL

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

EUA 2010



Desde os meus oito anos falei pro meu pai que eu queria ir estudar nos EUA. Nos úlitmos dois anos minha vida se resumiu em conseguir uma bolsa pra ir treinar e estudar numa Universidade nos Estados Unidos. Finalmente consegui, estou aqui realizando meu sonho mas do mesmo jeito que foi difícil chegar aqui é difícil permanecer, superar e aguentar.

Quando eu já tinha apagado a idéia de ir para os EUA falei pra minha mãe que não ia mais. Ela virou pra mim e disse: "Calma, você vai. Eu tenho certeza". Não dei muita bola. Duas semanas depois recebi um email de confirmação da minha bolsa. Eu pulei, gritei, liguei para os meus pais, nem acreditei. Acho que faltavam 6 meses para minha nova jornada começar e eu resolvi aproveitar o máximo com as pessoas que eu amo.


Passaporte na mão, passagem comprada, instruções impressas. Cheguei em SP e comecei a reparar a quantidade de estudantes indo viajar todos com o mesmo objetivo que eu ou quase isso. Entrando no avião eu só via pessoas jovens fui me empolgando, quem sabe eu conhecia alguém da minha Universidade. Nada, sentei do lado de um Americano que por acaso sabia falar portugues e me pertubou o voô inteiro. Finalmente cheguei em Dallas pra fazer conexão mas fiquei meia perdida procurando o balcão da empresa pra eu poder fazer meu check-in. Vi um balcão e um senhor na frente dele com outra moça e perguntei se ele podia me ajudar achando que ele era funcionário. Que nada era um casal de amigos fazendo escala também e nem tive que ir até o balcão da companhia aérea, entramos numa sala vip e ele emitiu minha passagem e depois falou vamos tomar café? Vamos! ahahahah. Fomos no Fridays e nisso conversando sobre várias coisas. Depois do café eles me acompanharam até o meu portão de embarque e me desejaram boa sorte. Boa sorte mesmo, eu achando que Americano era rude e egoísta, nem paguei pra comer e ainda conheci pessoas legais. É mas a minha sorte não durou muito tempo. Cheguei em Saint Loius- Mo , achando que meu técnico estaria me esperando, quando olhei era dois nerds com uma placa na mão com meu nome. Comecei a conversar com eles e descobri que eles eram voluntários da Igreja ajudando os freshmans. Legal, imagina se não tivesse ninguém lá quando eu chegasse?

Ficamos esperando mais dois estudantes chegarem. Um de Israel e outra menina do Japão. Saímos do aeroporto em busca do carro , a temperatura lá fora devia estar mais que 40 graus. Finalmente encontramos o frugão dos voluntários e seguimos em direção a Universidade...uns 20 min de carro. Eu certa de que eu ia chegar e ir direto pra minha casa, tomar um banho, comer , tudo certo. Fomos deixados em frente a um prédio chamado PA( pERfomance arena), aonde os freshmans tinham que fazer o check in. Lá fui eu. Tinham uns 10 steps pra completar. O primeiro era ver se meu nome tava na lista eu acho. Chegando nos step 3 que era ver a minha casa...não encontraram meu nome. Legal,a partir dai, nada deu certo. Desci as escadas pra proximo passo, ID da Universidade, também não pude fazer porque não acharam meu nome. O que eu ia fazer então? Me deram uma mapa e me mandaram pra um outro prédio lá. Como que eu ia fazer com um monte de mala ? Reparei que todo mundo tinha deixado as malas num canto lá e lembrei que Americano não pega as coisas dos outros assim com muito frequencia. Larguei minhas coisas lá mesmo e sai andando pelo campus procurando o tal prédio. Noooosssaa quase morri. De calor e de andar. Cheguei em um prédio e pedi informação. Desculpe não é aqui é lá no outro prédio, que era só do outro lado de onde eu estava. Andei, andei. Fui no International Office e me deram a informação de que meu nome do meio tava como meu ultimo nome e por isso estava dando erro e só poderiam resolver o problema no dia seguinte. Fui então pra office do housing até que depois de 1h descobriram a minha casa e traçaram no mapa novamente. Quase saindo do mapa de tão longe!!! Pensei beleza, o que eu faço primeiro? Acho a minha casa e depois pego as malas? Ou pego as malas e fico tentando achar a casa com as malas na mão? Decidi procurar a casa primeiro. No meio do caminho, perdida, os voluntários apareceram de carro. Amém! Foram até o PA pegaram minhas malas e fomos até a minha casa. Quem era a minha roommate? A Japonesa que também estava no carro. Quem disse que eu entendi alguma coisa que ela falava?!! Meu DEUS!

http://www.youtube.com/watch?v=g7p7Q9DkQJI

Entrei na casa e percebi que era uma casa enorme...com vários quartos, cozinha com geladeira, fogão, bem legal. Mais tarde os voluntarios nos levaram no Walmart.Comprei travesseiro, roupa de cama, e sei la mais o que que eu nem lembro. Só pensava em voltar pra casa e dormir. Até acabei esquecendo de comer esse dia. No dia seguinte já tinha coisa pra fazer. Atividades da Universidade. Orientações para os Freshmans, e lá fui eu e a japonesa andando uns 20 min até o campus, num sobe e desce ladeira. Finalmente consegui minha ID e pude comer na cafeteria.

Fiquei uns 2 dias sem falar com meus pais. Finalmente achei um computador sem senha em uma laboratório e pude mandar um email pro meu Pai, chorando. Eu só pensava em ir embora daqui. Tava tudo errado. Não sabia aonde era nada, meu técnico não apareceu, minha casa era longe pra caramba. Que loucura. Os dias foram passando e eu fui conhecendo o pessoal, pegando informação mas só fiquei tranquila quando conheci meu técnico.

Na outra semana as outras roommates começaram a chegar e a japonesa que tava comigo na casa teve que se mudar por que mandaram ela pra casa errada. De ínicio eu não gostei das outras roommates mas depois fomos conversando e ficou tudo bem. Até elas começarem a sujar a casa, deixar o banheiro imundo, levar mil pessoas pra dentro de casa. Até que um dia eu acordei era homem, cachorro, outras meninas...uma bagunça. Me mudei pra casa da frente.

Meus treinos começaram e foi dificil no começo porque eu nao entendia nada. FR, EZ, BR...QUE ISSO GENTE??? dEPOis de 2 semanas eu já tava pegando a manha...depois de perguntar para as meninas...que nao foram muito simpaticas. Hoje eu estou de boa , não preciso perguntar nada pra ninguém, na verdade nem falo com ninguém. Acho que não gostam muito de international. Meu técnico é internacional também mas ele não ta muito ligando pra mim. Outro dia ele me perguntou se eu tinha ido no treino, sendo que ele tinha falado comigo no dia. Percebi que eu sou invisível e no dia que teve tiro e meu ombro estava doendo, fiquei lá na fila pra dar tiro e depois sai de fininho e só soltei. Quem disse que ele me viu?

As vezes eu me pergunto o que eu estou fazendo aqui. Eu tinha uma vida tão boa no Brasil, tudo do bom e do melhor. Uma empregada pra cozinhar, lavar minha roupa, limpar a casa e aqui eu tenho que cozinhar, lavar minha roupa, limpar o banheiro...porque eu troquei minha vida boa por isso aqui? Pra as vezes ser mal tratada por não entender certas palavras em inglêS? Ser ignorada pelo meu time de natação? No Brasil eu tinha minha família, meus amigos, minhas mordomias e aqui não tem nada disso, não tem moleza e porque então e estou aqui? Porque por mais que eu tivesse tudo no Brasil a minha vida não tinha sentido, eu não tinha objetivo, eu não via meu futuro lá. E aqui eu posso estar sozinha, eu posso sentir falta as vezes e chorar mas eu me sinto viva, eu me sinto útil. Eu tenho minhas obrigações, treinar e estudar.



Tem dias que eu acordo e não quero ir pra aula...não por ser chata mas por preguiça de ter que andar até lá. Esse é o preço que se paga pra morar numa casa , ter uma cozinha e não ter que dividir quarto com ninguém. Mas tenho que ir, antes eu ia de mau humor andando e me lamentando por andar mas hoje me sinto bem, Principalmente quando me sinto sozinha. Coloco meu fone no ouvido e ligo meu ipod e vou pensando na vida subindo e descendo ladeira. Faz bem e é saudável e desestressa.


Algumas coisas da vida eu já sabia mas acho que a gente só aprende quando vive esses momentos de dificuldade. Aprendi que nem tudo na vida é fácil. Alcançar seu sonho demora , se realizar é difícil se prepare para vivê-lo. Meu maior medo: ficar sozinha. O que mais acontece aqui: solidão. Estou perdendo meu medo, no final estou sempre sozinha afinal foi isso que eu escolhi pra minha vida. Deixei tudo pra tras pra correr em busca do meu sonho e ninguém pode me acompanhar nele. Essa é minha nova vida, pra ficar bonito eu diria em busca da felicidade, pra ser realista digo em busca de um sonho que se modifica a cada dia. Ainda não sei o que vou fazer nem o que vai acontecer e isso é o bom da minha vida, nenhum dia é igual ao outro e o amanhã é uma icógnita.



By Mandokinhax

HULL...walking on a dream

último vídeo: Minha aula de sobrevivência.
http://www.youtube.com/watch?v=m9A2xHVi-cw

sábado, 23 de outubro de 2010

My college life

This was my essay from my writing class:







This year I realized my dream, and now I am living my college life, unfortunately not everything is going in the way I hoped. Everything in my life is changing, and now I do not live with my parents anymore. I am living with people from different countries and cultures, and this will make me grow up faster, but sometimes is hard to live with somebody who is very different and has other customs. Life with my parents is already hard, so imagine when you have to live with somebody that you do not even know. It has been really hard for me to deal with some situations, especially with my roommates.
My first day at Lindenwood University was crazy. I could not get my ID card and it took me several hours to find my house number. The only good thing was that I found my first roommate, Honu, a sweet girl from Japan. She was very nice, but in the first week I could not understand almost anything that she tried to say. We started to communicate by signals, and it was really fun. After one week I was more familiar with her accent, and I could have a better conversation with her. Honu was also good company and a good friend. She helped me to organize my room and the house.
After the freshman week, the juniors, seniors and sophomores arrived on the campus and as a consequence I met my other roommates. There were five girls in our house, three upstairs and two girls in the basement. The next day we were informed that Honu( my Japanese roomie) was sent to the wrong house and she had to leave. I was sad because I really liked her otherwise she was in the biggest room and I was going to move to her room. But then I gave up changing rooms because I was comfortable in the smaller room and I saw how many clothes and the other girls had, so I decided to let them stay in the bigger room. I regretted the decision later after a few weeks; I could see they did not appreciate any of the good things I did for them and I felt very said about that.
My life got worse. My roommates never cleaned the house, never took the trash out, never helped with the dishes, and they started to wake me up at 3 in the morning, screaming, after coming back from a party. I was very stressed, and I got very angry because I spent all the weekend alone in the house and they left the house very dirty. I was very uncomfortable and I cleaned everything, even dirt disgusting that they dropped on the carpet. When they came back home, they started to mess up everything again, so I decided to take an action. I said to one of my roommates, “ Hey! Do you think I am the maid of this house? I cleaned everything this weekend and I am not going to do this alone anymore.”She responded, “What are you talking about? Why everything is my fault? I always help and clean and I said thank you when you cleaned the house.” I replied, “Seriously? Thank me? I want you guys to help me, and not to say thanks. I do not see anyone cleaning this house except me and when I ask somebody to help nobody helps me and I am so stupid that I try to be nice with all you like cooking and that kind of stuff, and look what you guys give me back.”
The discussion ended, and I closed my door and locked it she started to knock, but I said, “I don't want to talk.” I was very angry; it was my limit, and the next step was going to say bad words and I did not want to hurt their feelings or hurt them because deep inside, they were good people. So, I took time to myself to calm down and I went out of the house to walk and think about everything. When I came back, she was waiting for me. As I was calmer, we talked and reached an agreement. It got better, for one week, and the house returned to the same mess, because the roommates did not change. One of the girls woke me up again and that was the last time for me, I started looking for another place to live, another house, but I could not find. The only option that I had was to move to a dorm and I wasn’t sure if it was going to be better.



I was in my psychology class and we had to talk in groups about something that was bothering us. I talked about my problem with my roommates and a girl in the group invited me to go to her house and spend time there with her. I agreed to meet her to do the exercise for the class and she showed me that she had an empty room in her house and said I could move there if I wanted to. I did not think twice and called my adviser and she helped me. The next day I was in the new house with two good new roommates. The house was cleaned and silent. That night I slept like an angel.
Unfortunately life is not perfect and happy all the time. In my new house, I got a smaller room and with air conditioner which everybody else will love except me. I hate AC and I was really freezing in that room. I called the maintenance and they told me that I could put a towel inside the AC hole and I did and I also put my furniture on the top of the hole, which was perfect. As the weeks passed the weather started to change, and I got cold. The house and my room were really cold. I started to put the heat on and this was another reason for my roommate to knock my door and said, “Amanda, please stop turning the heat on, the house is freaking hot and the other roommate does not like either.” I said, “Okay, as long as you do not turn on the AC, because I am cold here.” She agreed and gave me peace.



However, last week things start to be difficult. Even with the AC off, I was freezing. They decided to turn on the heat, but they put in a low temperature. I gave up talking with them and I bought a heater for me. Now I do not have to ask or bother anybody because of this. It is really difficult to deal with people, but I realized that they do not try to change to live with us, but we have to change for them. I wrote a letter to my roommate apologizing for everything and I told her that everybody has defects and we have to accept the person like she is. I wrote that I had a lot of defects and she did too but, she was so beautiful inside that her little defects did not bother me. She understood all wrong and she though I was telling her that she was my enemy. It was a long discussion again, but we arrived at an agreement. I was very sensitive and I cried a lot; I do not usually cry in front of anybody, but I was so stressed that I could not restrain myself.
This new life and all these conflicts with my roommates have been teaching me how to live my live without accepting anybody’s help. People try to pretend that they are strong and cold, but deep inside they are lovely and not so strong to continue living a life alone and without love. I have to be very strong to live here and to keep going with my dream. Life was never easy to me, and it is getting harder each day, but this makes me stronger, mature and experienced. That is how world works, with good and bad days, good and bad people and what I can do is learn how to deal with this and be happy. Even on the bad time, I have to look for something good to smile. After all, the problem with my roommates are not the only and the biggest that I will have to deal with in my life.

After I wrote this essay many thing happenned and I am having a freat time with my new roommates.



(Going to party with my new roommates)

Always think positive,

Mandoka...HULL LIFE STYLE!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Alcoholic drinks


Everbody who has a kid knows that when they are growing up the attention with than has to double. This happens because it's a period that all the bad things and influences are presented for them. The most commom are alcohol and tobacco.

The first idea about the alcohol is that it is an stimulant product, this is not true.Alcohol is depressive and in action can cause sleep. Also,it can reduce ablility to some works like driving a car. Most of car accidents are caused by drunk drivers.It is common the hear : "I will drink because I know my limit" . It is hard to know the exactly time to stop. Because the first function to be committed is critical sense. Even if a person takes a little dose of alcohol she has psychological effects, those can be showing happiness or even annoying. In general, when a person get drunk, nobody can preview how she is going to act.

Besides that, there is another problem alcohol can cause to a human and it is linked with nutrition. To have an idea 1 gram of alcohol provides 7 calories.Let's imagine a person who drinks a lot, a 300ml glass of beer containing 129 calories. This person drink 20 glasses of beer, she will get 2.580 cal ( two thousand five hundred and eighty calories)at once. This person will never be healthy drinking like this.Therefore we can't play with alcohol, people have to moderate and drink with responsibility. Give value to your life.

My next post will be about another problem: TOBACCO.

By Amanda Inocencio

HULL LIFE STYLE

segunda-feira, 14 de junho de 2010

LOVE, LOVERS, LOVING


June 12, it's the Valentine's day in Brazil. The day to celebrate, to go out for dinner, to love your boyfriend ( if you have one). The day the stores release a product to sell for the lovers. There is also some options for the singles, like party for the singles and concerts, or they can go to the church and pray to get a boyfriend or girlfriend.
At the dictionary love means affection,compassion, mercy, passion, desire and etc. But for me is the most difficult felling to describe. Love is to be worry about someone, is give and don't wait to receive,is to love a person completely even with many defects.Love can't be perfect, the perfection of love it's to be imperfect. Everything that is too perfect loses the beauty. Love, is when you like someone the way she is. And loving is when you do whatever it takes just to see this person smiling and happy.
Don't be affraid of love. Enjoy your time because nothing is forever, everything die, everything ends, life is to short to be wasted. We must love people like tomorrow doesn't exist, because if we stop to think about it there is no tomorrow.
Let's live evergthing that it has to be lived because there is no time to go back.

With love,

Amanda Inocencio

HULL LIFE STYLE!

terça-feira, 23 de março de 2010

Friends


Acho que quando o assunto é coração não devemos pedir ajuda a ninguém. Apenas seguir o que ele está mandando. Aprendi mais uma vez que quando alguém me perguntar sobre o que fazer...vou dizer: só você pode descobrir e eu não posso ajudar.

Dar opnião sobre a vida de alguém pode custar uma amizade...ou até mais. Amizades que eram necessariamente importante na vida. Porque se não fossem a saudade elas não existiria.

O ser humano é tão imperfeito que está sempre cometendo erros. Alguns podem custar caro...outros podem ser resolvidos. Não dizem que o amor vence qualquer barreira?

O verdadeiros amigos, aqueles que estão sempre ao seu lado na alegria ou na tristeza, ninguém no mundo poderá substituir. Esses são os que estão sempre do nosso lado, esses são os que nos amam, esses são os que nós AMAMOS.!

Por: Amanda Tavora

HULL